Sintam-nas...

domingo, outubro 08, 2006

Luís Vaz de Camões - Amor é fogo que arde sem se ver



Foto: love hurts by Dreamzincolor




Amor é fogo que arde sem se ver
É ferida que dói e não se sente
É um contentamento descontente
É dor que desatina sem doer

É um não querer mais que bem querer
É solitário andar por entre a gente
É nunca contentar-se de contente
É cuidar que se ganha em se perder

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence, o vencedor
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?



Luís de Camões (Poeta português, 1524 ou 1525 - 1579 ou 1580)


5 comentários:

Luiz Roberto Lins Almeida disse...

ouça uma música chamada Monte Castelo de uma banda brasileira chamada Legião Urbana. O cara canta esses versos de camões mesclando-os com bíblia e outras coisas mais.
é mto bom.
beijão

Susana B. disse...

Luiz,

obrigada pela visita e pela sugestão. Não conheço esse tema, mas vou à procura.

Beijos.

Susana.

Vultos disse...

Olá Susana,

Como sempre genial nas suas escolhas, um abraço e boa semana,
Manuel Rodrigues

Susana B. disse...

Manuel,

sempre simpático. Muito obrigada pelo elogio.

E a sua escrita, como vai? Não tenho tido notícias suas e, por algum motivo estranho, que desconheço, não tenho a morada do seu novo blog. Peço que me envie, s.f.f.

Beijinhos.

Susana.

Psique e Arte disse...

Sim é verdade.
Assim deveria citar os créditos.
Mais o Camões é Maior!
Viva a poesia. Portugal.