Sintam-nas...

segunda-feira, outubro 23, 2006

Ângela Santos - Entre Margens




Acho-me,
desencontro-me
amaino se posso
os demónios
Aposso-me das espectrais
sombras que vagueiam
na antecâmara de mim
De sonhos e caminhos
é feito o mundo
o meu
o outro de que me aparto
de cacos e restos do velho

O novo teima
entre os escombros das implacáveis leis
do mais forte
da gravidade
da entropia
e da sua negação

E então?

Então o sonho é o que sobra
e o rasgo de alma por onde ele brota

E além - sonho
as cores, a luz, as palavras, o poema
as barreiras vencidas, a cabeça a prumo
a teimosia...acreditar ainda

E além de tudo o amor.. amar
amar-te
o que faz sentir-me
o que faz sentido

E o mar.....

o que sem ti
faz doer!


Ângela Santos