Sintam-nas...

domingo, fevereiro 11, 2007

Ana Luísa Amaral - Sonhei-te lentamente



Sonhei-te lentamente,
em plena consciência do disfarce.
Sabia-te irreal,
mas o sonho restava devagar.
Com pormenores tão lentos

que o tempo me sobrava de pensar.
Sentei-me ao pé de ti,
junto ao meu sonho, e pude ler indícios,
os símbolos que queria
estavam lá. Sonhei-te porque sim:

a confusão existe no real.



Ana Luísa Amaral (Poetisa portuguesa, 1956- )

1 comentário:

un dress disse...

professora minha na faculdade de letras da universidade do Porto...


liiinda!!:)