Sintam-nas...

domingo, fevereiro 25, 2007

Zeca Afonso - Filhos da Madrugada



Somos filhos da madrugada
Pelas praias do mar nos vamos
À procura de quem nos traga
Verde oliva de flor nos ramos
Navegamos de vaga em vaga
Não soubemos de dor nem mágoa
Pelas praia do mar nos vamos
À procura da manhã clara

Lá do cimo de uma montanha
Acendemos uma fogueira
Para não se apagar a chama
Que dá vida na noite inteira
Mensageira pomba chamada
Mensageira da madrugada
Quando a noite vier que venha
Lá do cimo de uma montanha

Onde o vento cortou amarras
Largaremos p'la noite fora
Onde há sempre uma boa estrela
Noite e dia ao romper da aurora
Vira a proa minha galera
Que a vitória já não espera
Fresca, brisa, moira encantada
Vira a proa da minha barca.



Zeca Afonso (Letrista e cantor português, 1929-1987)

2 comentários:

Anónimo disse...

Ja, mich berühren sie auch sehr.
Aber die Musik von Zeca Afonso berührt mich nicht nur, sondern sie bewegt mich zutiefst.
Unglaubliche kreative Kraft fließt aus dieser Seele.

Adriana

Anónimo disse...

"Mensageira pomba chamada
Mensageira da madrugada"

Olhe que é mais assim

"Mensageira pomba chamada
Companheira da madrugada"

Forte abraço.