Sintam-nas...

segunda-feira, março 03, 2008

Dímitra Mandá - Olhas-me



Olhas-me
e as palavras multiplicam-se nas palmas das minhas mãos
nos teus cabelos fundos viaja a minha voz.
Falas-me
e mares abrem-se
que se arrepiam de beijos e carícias dos ventos.
E amo-te no infindável meio-dia.




Dímitra Mandá (Poetisa Grega)

Poema encontrado no Sentir Sentido

1 comentário:

peregrino disse...

E porque é no quadrante do meio-dia que tudo acontece, aqui te deixo:

era um só caminho
desenhado por teus passos.
só eu o conhecia.
extasiado, percorri-o
na planura das alfombras
e encontrei-te.
encontrei-te à sombra do meio-dia
do sol de março
numa mescla de essências
a terra e a lume e a cravo, junto ao trigo.
talvez papoilas,
talvez romãs, quiçá abrigo.