Sintam-nas...

quarta-feira, outubro 08, 2008

Gonçalo Crespo - No momento do adeus sucede que os amantes



No momento do adeus sucede que os amantes
Se abraçam, a chorar, com vozes soluçantes.
Força, é força partir; a mão prende-se à mão,
E uma infinda tristeza inunda o coração.

Para nós, meu amor, nessa hora de agonia
Não houve o padecer que as almas excrucia;
Foi grave o nosso adeus e frio, e só agora
é que a dor nos subjuga, e a angústia nos devora.



Gonçalves Crespo (Poeta Português)

4 comentários:

João Videira Santos disse...

É sempre agradável encontrar alguém que dá visibilidade à poesia dos mestres. Parabéns!

Tentativas Poemáticas disse...

Olá Susana
Para além de dar visibilidade à poesia dos mestres muito bom seria para todos nós que publicasse um poema ou um texto seu. Eu sei que é capaz. Fico ansioso à espera.
Beijinhos
António

Susana B. disse...

António,
para meu desgosto...só sei escrever relatórios técnicos e chatos. Nada muito poético.
Beijinhos.
Susana.

Hugo Besteiro disse...

giro.. ainda hj copiei este e o anterior (do almada) para dp por no meu blog..

presumo que a fonte é a mm... 366 poemas que falam de amor, a antologia do VGM :)